Página Inicial / Dicas Para Concurso Público / Entendendo a Concordância Verbal e Nominal

Entendendo a Concordância Verbal e Nominal

Em português fazer concordância verbal e nominal significa harmonizar, adaptar o gênero (masculino ou feminino), o número (singular ou plural) e a pessoa (1ª, 2ª ou 3ª) de uma palavra ao gênero, número e pessoa da palavra que a determina numa frase. O objetivo desse artigo é voltado para escrever uma boa redação, entendendo a Concordância Verbal e Nominal

Palavras determinantes são os adjetivos, os pronomes, os artigos e os numerais. Palavras determinadas são os substantivos.

Fala-se então em CONCORDÂNCIA NOMINAL, quando os adjetivos, pronomes, artigos e numerais concordam em gênero e número com os substantivos.

A CONCORDÂNCIA VERBAL é a que ocorre, em número e pessoa, entre o sujeito (elemento determinante) e o verbo (elemento determinado) da oração.

Entendendo a Concordância Verbal e Nominal

Concordância Nominal

Principais casos:

  • O adjetivo e os determinantes (artigo, numeral e pronome) concordam com o substantivo ao qual se referem em gênero e número.

Exemplos:

Os dois principais argumentos foram examinados.

(os: artigo masculino plural; dois: numeral; principais: adjetivo masculino plural; argumentos: substantivo masculino plural; examinados: adjetivo masculino plural)

Todos os deputados eleitos estavam presentes.

(todos: pronome adjetivo; os: art. masc. plur.; deputados: subst. masc. plur.; eleitos: adj. masc. plur.)

  • Quando o adjetivo se referir a dois ou mais substantivos e vier depois deles, haverá duas situações a considerar:
  1. Se os substantivos são do mesmo gênero, o adjetivo pode ir para o plural ou para o singular.

Exemplos:

O professor adquiriu um livro e um computador novos/ou novo.

(livro: subst. masc.; computador: subst. masc.; novos: adj. masc. plur./novo: adj. masc. sing.)

O policiamento reprimiu a passeata e a manifestação realizada/ou realizadas.

(passeata: subst. fem.; manifestação: subst. fem.; realizada: adj. fem. sing./realizadas: adj. fem. plur.)

  1. Se os substantivos forem de gêneros diferentes, o adjetivo pode ir para o masculino plural ou concordar em gênero e número com o substantivo mais próximo.

Exemplos:

Demonstravam uma solicitude e um interesse mais que fraternos/ou fraterno. (solicitude: subst. fem. sing.; interesse: subst. masc. sing.; fraternos: adj. masc. plur./fraterno: adj. masc. sing.)

Eles tinham o pescoço e as costas machucados/ou machucadas.

(pescoço: subst. masc. sing.; costas: subst. fem. plur.); machucados: adj. masc. plur.; machucadas: subst. fem. plur.)

  • Quando o adjetivo se referir a dois ou mais substantivos e vier antes deles, deverá concordar de preferência com o mais próximo.

Exemplos:

A mãe demonstrou o mais puro amor e dedicação ao filho. (puro: adj. masc. sing.; amor: subst. masc. sing.; dedicação: subst. fem. sing.)

Os alunos ouviram belos relatos e histórias. (belos: adj. masc. plur.; relatos: subst. masc. plur.; histórias: subst. fem. plur.)

Obs.: Estas regras também valem para os pronomes adjetivos, tais como seu(s)/sua(s), nosso(s)/nossa(s); este(s)/esta(s); outro(s)/outra(s), etc.

Exemplos:

Aqueles homens e mulheres eram persistentes.

(aqueles: pronome adjetivo masc. plur.; homens: subst. masc. plur.; mulheres: subst. fem. plur.)

Tuas desculpas e fingimentos já são costumeiros.

(tuas: pron. adj. fem. plur.; desculpas: subst. fem. plur.; fingimentos: subst. masc. plur.)

  • Em orações com sujeito + verbo de ligação (ser, estar, permanecer, parecer, etc.) + adjetivo referente ao sujeito (predicativo do sujeito), a concordância se faz da seguinte forma:
  1. O predicativo concorda em gênero e número com o sujeito, se este for simples (com um único núcleo).

Exemplos:

A casa está fria e vazia

(casa: núcleo do sujeito = subst. fem.sing.; fria: predicativo do sujeito = adj. fem. sing.; vazia: predicativo do sujeito = adj. fem. sing.)

Esses livros são antiquíssimos.

(livros: núcleo do suj.=subst. masc. plur.; antiquíssimos: pred. do suj.=adj. masc. plur.)

Os ônibus chegaram atrasados.

(ônibus: subst. masc. plur.; atrasados: adj. masc. plur.)

  1. Sendo o sujeito composto e seus núcleos constituídos de substantivos de gêneros diferentes, o predicativo vai para o masculino plural.

Exemplos:

Os portões e as janelas permaneceram fechados.

(portões: subst. masc. plur.; janelas: subst. fem. plur.; fechados: adj. masc. plur.)

Belos eram aqueles dias e noites de verão.

(belos: adj. masc. plur.; dias: subst. masc. plur.; noites: subst. fem. plur.)

  • Em orações com sujeito + verbo + complemento (objeto) + adjetivo referente ao objeto (predicativo do objeto), a concordância se faz da seguinte forma:
  1. O adjetivo concorda em gênero e número com o objeto quando este for simples (com um único núcleo).

Exemplos:

As paixões tornam os homens cegos.

(homens: núcleo do objeto = sujeito masc. plur.; cegos: adj. masc. plur.)

O júri considerou as rés culpadas.

(rés: núcleo do obj. = subst. fem. plur.; culpadas: adj. fem. plur.)

  1. Se o objeto for composto e formado por dois ou mais núcleos de substantivos do mesmo gênero, o adjetivo vai para o plural, mantendo o gênero dos substantivos.

Exemplos:

Os investigadores encontraram a mala e a escrivaninha vazias.

(mala: subst. fem. sing.; escrivaninha: subst. fem. sing.; vazias: adj. fem. plur.)

Consideramos infundados o relatório e os pareceres finais.

(infundados: adj. masc. plur.; relatório: subst. masc. sing.; parecer: subst. masc. plur.)

  1. Se o objeto for composto e formado de substantivos de gêneros diferentes, o adjetivo vai para o masculino plural.

Exemplo:

Vimos ruas e monumentos pichados.

Obs.: Se o adjetivo anteceder o objeto composto, poderá concordar com o núcleo mais próximo.

Exemplo:

Vimos pichadas ruas e monumentos.

Outros casos de concordância nominal

  • Os determinantes MESMO e PRÓPRIO concordam em gênero e número com a palavra determinada.

Exemplos:

Nós mesmos dissemos isso.

(mesmos no masc. plur., pois  nós pode se referir a homens somente ou a homens e mulheres)

 

Nós mesmas dissemos isso

(mesmas no fem. plur., pois nós se refere apenas a mulheres)

 

Ele próprio se confundiu.

(próprio: masc. sing.)

 

Elas próprias se sentiram injustiçadas.

(próprias: fem. plur.)

  • Os determinantes ANEXO e INCLUSO, sendo adjetivos, concordam com o substantivo em gênero e número.

Exemplos:

Segue anexa (ou inclusa) a documentação requerida.

(anexa/inclusa: adj. fem. sing.; documentação: subst. fem. sing.)

Vão anexos (ou inclusos) os comprovantes de pagamento.

(anexos/inclusos: adj. masc. plur.; comprovantes: subst. masc. plur.)

Obs. 1: Quando MEIO significar um tanto, fica invariável.

Exemplos:

Seus gestos foram meio agressivos.

A porta está meio aberta.

Obs. 2: Significando metade, será um adjetivo e deverá concordar com o substantivo.

Exemplos:

Meio caminho andado, eles pararam para descansar.

(meio: adj. masc. sing.; caminho: subst. masc. sing.)

A refeição foi servida ao meio-dia e meia (hora).

(meia: adj. fem. sing.; hora: subst. fem. sing.)

  • Na expressão TAL QUAL, deve-se concordar (em número) tal com a palavra anterior e qual com a posterior.

Exemplos:

O discípulo é tal qual o mestre.

Os discípulos são tais quais os mestres.

O garoto é tal quais os pais.

Concordância Verbal

 

Assim como a concordância nominal, a verbal envolve a harmonização e a adaptação de elementos da frase entre si (determinantes e determinados).

A concordância verbal será de número (singular ou plural) e pessoa (1ª, 2ª, e 3ª), entre o sujeito (determinante) e o verbo da oração (determinado).

O que deve ser observado primeiramente é se há um só sujeito (sujeito simples) ou mais de um (sujeito composto).

Regras básicas

 

  • Se o sujeito da oração é simples, singular ou plural, o verbo concordará com ele, indo também para o singular ou para o plural (concordância de número), dependendo do caso. Além disso, deve-se observar qual é a pessoa do sujeito, pois a terminação do verbo mudará em função dela.

Exemplos:

 

Os automóveis estavam no pátio.

Os presentes acompanharam o discurso.

 Correram todos para o corredor.

  

  • Havendo mais de um sujeito (sujeito composto), o verbo geralmente vai para o plural, variando a terminação em função da pessoa do sujeito.

Exemplos:

Promotores e delatores ficaram frente a frente.

A inflação e o salário não caminham juntos.

Obs.: Quando o sujeito vier depois do verbo, este pode ficar no singular, se o núcleo do sujeito mais próximo também estiver no singular.

Exemplos:

Aos maus políticos faltam (ou falta) honestidade e senso de dever.

No comício, ocorreram (ou ocorreu) uma manifestação a favor e duas contra.

Outros casos de concordância verbal

  • Verbos HAVER (com o sentido de existir) e FAZER (indicando tempo).

Nesses casos, esses verbos são impessoais, ou seja, não são determinados por qualquer sujeito. Ficam sempre na 3ª pessoa do singular.

Exemplos:

comentários maldosos sobre o funcionário.

Não havia condições de continuar.

Faz três meses que partimos.

Conheceram-se fazia vinte anos.

Obs.: Verbos que formam locução com haver e fazer, como dever, poder e ir, ficam também invariáveis na 3ª pessoa do singular.

Exemplos:

Deve haver motivos claros para sua demissão.

Hoje vai haver grandes manifestações.

Acreditavam que poderia haver sequelas.

  • Se os sujeitos forem ligados pela conjunção OU, o verbo concorda com o mais próximo se a conjunção indicar exclusão de um deles.

Exemplos:

Um ou outro deve assumir o posto.

O pai ou os filhos disseram aquelas palavras.

Obs.: O verbo poderá ir para o plural, caso a ideia expressa pelo verbo se refira a todos os núcleos do sujeito composto.

Exemplos:

Carlos ou André assumirão os cargos. (os dois assumirão)

No caminhar do processo, calar ou falar são a mesma coisa.

  • Sujeito composto unido por.. NEM.

Neste caso, é mais comum e recomendado o verbo ir para o plural.

Exemplos:

Nem a beleza nem o dinheiro o seduzem.

Obs.: se o sujeito for formado por NEM UM(A) NEM OUTRO(A), o verbo fica no singular.

Exemplo:

Nem um nem outro reagiu bem à notícia.

  • Sendo o sujeito composto unido pelas expressões aditivas NÃO SÓ… MAS… e.. COMO…, o verbo vai preferencialmente para o plural.

Exemplos:

Não só os organizadores como o público ficaram satisfeitos.

Tanto o médico como o estagiário chegaram à mesma conclusão.

  • Se o sujeito apresentar expressões como A MAIORIA DE, A MAIOR PARTE DE, GRANDE NÚMERO DE, seguidas de um substantivo ou pronome no plural, o verbo poderá ficar no singular, para destacar a ideia individual, ou ir para o plural, para enfatizar a ideia de conjunto.

Exemplos:

A maioria das mulheres são (ou é) a favor da nova lei.

Boa parte dos entrevistados afirmou (ou afirmaram) que não pretendia votar.

Impressionou-me o grande número de vítimas que desconhecem (ou desconhece) seus direitos.

A maior parte de nós irão (ou irá) à festa.

 

  • O sujeito sendo formado pela expressão CADA UM DE seguida de substantivo ou pronome no plural, o verbo permanece no singular.

Exemplos:

Cada um dos engenheiros forneceu um laudo diferente.

Cada um de nós discursou no plenário.

  • Com a expressão MAIS DE UM, o verbo fica normalmente no singular.

Exemplos:

Mais de um concorrente alcançou a pontuação máxima.

 

  • Se o pronome relativo QUE estiver como sujeito de uma oração, o verbo concorda em número e pessoa com o antecedente desse pronome relativo.

Exemplos:

Somos nós que trabalhamos mais.

Foram policiais que invadiram o presídio.

Eram eles que davam aulas.

  • Sendo o pronome relativo QUEM o sujeito da oração, o verbo preferencialmente fica na 3ª pessoa do singular, mas podendo ir também para o plural, concordando com o antecedente do pronome.

Exemplos:

Fomos nós quem precisou agir.

Não sou eu quem pagará a conta.

Eram eles quem deviam dizer a verdade.

  • Em orações como VENDEM-SE CASAS, ALUGAM-SE QUARTOS, FAZEM-SE SALGADOS, o verbo concorda em número com o substantivo a que se refere, porque este é o sujeito da oração.

Exemplos:

Ouviam-se barulhos por todo o lado.

 Cumpriu-se o prometido.

Obs.: Se a palavra que acompanha o verbo for antecedida por preposição, o verbo fica no singular.

Exemplos:

Precisa-se (ou necessita-se) de serventes.

 Assistiu-se a todos os vídeos.

 

  • Se o verbo principal da oração vier acompanhado de um auxiliar, formando locução verbal, a concordância deve ocorrer entre o verbo auxiliar e o sujeito.

Exemplos:

Podem ocorrer tumultos durante o concurso.

 As flores parecem desabrochar.

 Devem-se cumprir as leis.

  • Na indicação de HORAS, DATAS E DISTÂNCIAS, o verbo ser vai para o plural ou fica no singular, dependendo do numeral ou da quantidade que o acompanha.

Exemplos:

Eram três para as sete.

Hoje são treze de dezembro.

É meio-dia e meia.

Foram três quarteirões até o banco.

 

 

Resolva questões de concordância verbal e nominal clicando aqui

Sobre Raul Junior

Fundador do site Provas de Concurso com o objetivo de ajudar concurseiros e estudantes, com dicas e informações sobre concursos públicos