Página Inicial / Português - Questões / Interpretação de Texto Cops Uel Auditor Fiscal

Interpretação de Texto Cops Uel Auditor Fiscal

Questões de concurso público de interpretação de texto da banca Cops Uel da prova de Auditor Fiscal 2012

Interpretação de Texto Cops Uel Auditor Fiscal

 

Leia o texto a seguir e responda às questões de 1 a 8

1.Pergunta

(Auditor Fiscal – SEFAZ-PR – 2012 – COPS UEL) Sobre a substituição, sem prejuízo do sentido original, dos termos “preterido” (linha 1), “repúdio” (linha 10), “incidência” (linha 14) e “represálias” (linha 23) considere as afirmativas a seguir.

I. “preterido” pode ser substituído por “desfavorecido”.
II. “repúdio” pode ser substituído por “reiteração”.
III. “incidência” pode ser substituído por “intermitência”.
IV. “represálias” pode ser substituído por “retaliações”.
Assinale a alternativa correta.

  • a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
  • b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
  • c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
  • d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
  • e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas

Resposta

Resposta

letra b

2. Pergunta

(Auditor Fiscal – SEFAZ-PR – 2012 – COPS UEL) Assinale a alternativa que explica, corretamente, a frase: “De todo modo, é fundamental sempre saber se posicionar frente ao seu interlocutor.” (linha 19 e 20).

  • a) Antecipa o caráter saudável do uso de palavrões no ambiente de trabalho quando se busca proporcionar descontração e assegurar a intimidade com os colegas e com o público.
  • b) Resume a recomendação de reprimir com rigor o uso de palavrões diante dos chefes e de altos funcionários e relaxar nas demais circunstâncias de trabalho.
  • c) Identifica a variedade de situações e circunstâncias do trabalho que devem ser diferenciadas pelo trabalhador através da adequação da linguagem e da moderação do uso de palavrões em certas ocasiões.
  • d) Sintetiza a necessidade de moderar o uso de palavrões perante o público externo e de liberá-lo diante de colegas de trabalho e de funcionários hierarquicamente superiores.
  • e) Sugere que o trabalhador deve impor seus hábitos linguísticos, mesmo que entre eles esteja o uso de palavrão, no ambiente de trabalho, a fim de garantir sua afirmação.

Resposta

Resposta

letra c

3. Pergunta

(Auditor Fiscal – SEFAZ-PR – 2012 – COPS UEL) Com base no texto, assinale a alternativa correta.

  • a) A pesquisa apontou que mais da metade dos gestores entrevistados admitiu que o uso de palavrões pelo trabalhador tem má repercussão.
  • b) A pesquisa comprovou que o risco de avaliação negativa atribuída aos trabalhadores que usam palavrões sobe a mais da metade, de acordo com os gestores entrevistados.
  • c) Mais da metade dos consultores brasileiros entrevistados para o texto admitiu fazer uso de palavrão no ambiente de trabalho.
  • d) O texto indicou que mais da metade dos candidatos a emprego nos Estados Unidos é descartada na entrevista de admissão em decorrência do hábito de falar palavrões.
  • e) O texto revelou que mais da metade dos trabalhadores americanos está sujeita à demissão por proferir palavrões no ambiente de trabalho.

Resposta

Resposta

letra a

4. Pergunta

(Auditor Fiscal – SEFAZ-PR – 2012 – COPS UEL) Sobre os termos “profissional” (linha 6) e “profissionais” (linha 31 e 32), assinale a alternativa correta.

  • a) Os dois são adjetivos variáveis, isto é, ora aparecem no singular, ora aparecem no plural, conforme os substantivos que eles acompanham.
  • b) Os dois são substantivos que podem variar do singular para o plural, acarretando a mudança de significado e a perda do vínculo com a ideia de profissão.
  • c) “profissionais” é um substantivo no plural que tem uma carga de significado ambígua em decorrência do comportamento amador das pessoas designadas pelo termo.
  • d) “profissional”, no singular, é um adjetivo por ser invariável, isto é, o plural contrariaria as normas gramaticais, mesmo que o substantivo “imagem” estivesse no plural.
  • e) “profissional” está no singular para concordar com o substantivo “imagem”, mas poderia ser um substantivo, caso a construção fosse “imagem do profissional”.

Resposta

Resposta

letra e

5. Pergunta

(Auditor Fiscal – SEFAZ-PR – 2012 – COPS UEL) Sobre a frase “E, embora os números sejam altos, quando o uso é exagerado pode criar problemas.” (linhas 26 e 27), considere as afirmativas a seguir.

I. Fica subentendida a expressão “de palavrões” logo após “uso”.
II. Fica subentendido que “uso exagerado” é aquele que excede os números apurados na pesquisa.
III. O conectivo “embora” pode ser substituído por “a despeito de”, sem necessidade de alteração na
flexão verbal.
IV. O conectivo “embora” pode ser substituído por “ainda que”, sem prejuízo do sentido original.
Assinale a alternativa correta.

  • a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
  • b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
  • c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
  • d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
  • e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Resposta

Resposta

letra b

6. Pergunta

(Auditor Fiscal – SEFAZ-PR – 2012 – COPS UEL) Sobre o sentido do trecho “E, como no trabalho, nem sempre dá para botar em prática a máxima ‘os incomodados que se mudem’…” (linhas 45 e 46), assinale a alternativa correta.

  • a) Nas relações de trabalho, é recomendável buscar um paliativo, antes de sugerir ao chefe que transfira ou demita o funcionário que se excede nos palavrões.
  • b) Nas relações de trabalho, pode haver um inconveniente que inviabilize a mudança do funcionário incomodado com os palavrões proferidos pelo colega.
  • c) Nessas circunstâncias, cabe verificar se o funcionário que fala palavrões em excesso é um protegido do chefe, antes de solicitar uma transferência de setor.
  • d) No ambiente de trabalho, é necessário ponderar se o colega de trabalho está passando por alguma crise íntima ou pessoal, antes de tomar uma atitude drástica.
  • e) No ambiente de trabalho, é sugerido que o trabalhador dê preferência a mudar de emprego, evitando criar constrangimento ou inimizade com um colega de trabalho.

Resposta

Resposta

letra b

7. Pergunta

(Auditor Fiscal – SEFAZ-PR – 2012 – COPS UEL) A respeito da ideia de tolerância, que aparece duas vezes ao longo do texto, considere as afirmativas a seguir.
I. Nas agências de publicidade, as pessoas são mais indulgentes com o uso de palavrões.
II. Os palavrões são recebidos com menos intransigência em empresas da área de TI.
III. Um dos participantes do treinamento demonstrou pouca condescendência com o colega que
abusava dos palavrões.
IV. Um participante do treinamento exibiu falta de suscetibilidade ao excesso de palavrões proferidos
pelo colega.
Assinale a alternativa correta.

  • a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
  • b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
  • c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
  • d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
  • e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

Resposta

Resposta

letra d

8. Pergunta

(Auditor Fiscal – SEFAZ-PR – 2012 – COPS UEL) Sobre a expressão “boca suja”, que aparece duas vezes no texto (linhas 35 e 49), assinale a alternativa correta.

  • a) A atribuição do sentido conotativo à expressão depende da subjetividade do leitor, que pode interpretá-la em seu sentido denotativo e preservar os significados.
  • b) A linguagem conotativa ocorre somente na segunda vez, porque as aspas são usadas e porque a expressão personifica quem a proferiu.
  • c) O sentido conotativo aparece na primeira ocorrência porque não é da boca do falante que saem os palavrões pronunciados.
  • d) O uso da linguagem figurada está nas duas ocorrências, embora, na segunda, a expressão significa “aquele que fala palavrões”.
  • e) O uso da linguagem figurada na expressão consiste na transferência da ideia de sujeira, de quem ouve para quem fala.

Resposta

Resposta

letra d

Leia o artigo como melhorar a motivação nos estudos

Sobre Raul Junior

Fundador do site Provas de Concurso com o objetivo de ajudar concurseiros e estudantes, com dicas e informações sobre concursos públicos