Página Inicial / Redação - Temas / Tema Redação TRF 4 Região Analista e Técnico Judiciário

Tema Redação TRF 4 Região Analista e Técnico Judiciário

Prova Discursiva do Tribunal Regional Federal da 4a Região – TRF, referente aos cargos de Analista Judiciário – Área Judiciária e Técnico Judiciário – Área Administrativa, ano da prova 2014. A Banca Organizadora foi a  Fundação Carlos Chagas

Tema Redação – Técnico Judiciário Área Administrativa

Texto 1

É verdade que a troca de mensagens é bastante hermética. E que meios como SMS e Twitter, com a restrição de caracteres e o imediatismo que demandam, limitam elaborações. Mas até que ponto esse tipo de mensagem surgiu como substituto para a escrita? (…) Algoritmos, diagramas, fala, escrita, matemática e gestos são formas de tradução de ideias pensadas, que muitas vezes compartilham elementos, mas nem sempre. Não há equivalente verbal para : )

(RADFAHRER, L. “Txt não é texto”, In: F. de São Paulo, 19/05/2014)

Texto 2

Platão, no século IV a.C., nos conta que os caracteres da escrita teriam sido descobertos por Tot, no antigo Egito. Crente de ter encontrado um remédio para a memória, apresenta sua descoberta ao rei Tamus, por quem é assim desenganado: “Não descobriste o remédio para a memória, mas apenas para a lembrança. O que ofereces aos que estudam é simples aparência do saber, não a própria realidade. Depois de ouvirem um mundo de coisas, sem nada terem aprendido, considerar-se-ão ultrassábios, quando, na grande maioria, não passarão de ignorantões…”.

(Fedro, 275a-b, trad. de Carlos Alberto Nunes, Ed.ufpa, 2011)

A partir da leitura dos textos acima, elabore um texto dissertativo-argumentativo sobre o papel da linguagem escrita na sociedade contemporânea. Justifique seu ponto de vista.

Atenção:

Conforme Edital publicado, Capítulo X, item 3, na Prova DiscursivaRedação, será atribuída nota ZERO à Prova Discursiva − Redação que:
a. fugir à modalidade de texto solicitada e/ou ao tema proposto;
b. apresentar textos sob forma não articulada verbalmente (apenas com desenhos, números e palavras soltas ou em versos) ou qualquer fragmento de texto escrito fora do local apropriado;
c. for assinada fora do local apropriado;
d. apresentar qualquer sinal que, de alguma forma, possibilite a identificação do candidato;
e. estiver em branco;
f. apresentar letra ilegível e/ou incompreensível.
A folha para rascunho no Caderno de Provas é de preenchimento facultativo. Em hipótese alguma o rascunho elaborado pelo candidato será considerado na correção da Prova Discursiva − Redação pela banca examinadora.
Na Prova Discursiva − Redação, deverão ser rigorosamente observados os limites mínimo de 20 (vinte) linhas e máximo de 30 (trinta) linhas, sob pena de perda de pontos a serem atribuídos à Redação.
A Prova DiscursivaRedação terá caráter eliminatório e classificatório e será avaliada na escala de 0 (zero) a 100 (cem), considerando-se habilitado o candidato que nela obtiver nota igual ou superior a 60 (sessenta) pontos.
O candidato não habilitado na Prova Discursiva − Redação será excluído do Concurso.

 

Tema Redação – Analista Judiciário Área Judiciária

Estudo de Caso

Questão 1

Laurinda é aposentada por tempo de contribuição pelo Regime Geral da Previdência Social. Após a concessão de sua aposentadoria pelo INSS, Laurinda continuou a trabalhar e recolher salários de contribuição. Laurinda pretende desaposentar e obter nova aposentadoria por tempo de contribuição maior, considerando os salários de contribuição posteriores à sua aposentadoria. Neste caso, responda fundamentadamente:

a. Nos termos das Leis nos 8.212/1991 e 8.213/1991 é possível Laurinda obter nova aposentadoria, mesmo já sendo aposentada?
b. Atualmente, qual o posicionamento jurisprudencial dominante no Superior Tribunal de Justiça a respeito da segunda aposentadoria?
c. O Supremo Tribunal Federal já se manifestou sobre o tema?

 

Questão 2

Considere a seguinte situação hipotética: o Tribunal Regional Federal da 4a Região instituiu uma comissão incumbida de apontar as alternativas juridicamente viáveis para o oferecimento de programas de capacitação a seus servidores, além de atividades contínuas de aperfeiçoamento profissional e acadêmico. As alternativas aventadas foram:

I. instituição de uma Fundação federal custeada com recursos orçamentários;
II. criação de um centro de estudos, como órgão público integrante da estrutura do próprio Tribunal; ou
III. contratação de uma instituição privada, com ou sem fins lucrativos, para a prestação dos serviços pretendidos.

Considerando o disposto na Constituição Federal e na legislação aplicável à espécie, responda, fundamentadamente, às seguintes indagações:

a. As alternativas I e II dependem de lei específica ou prévia autorização legislativa ou podem ser implementadas, exclusivamente, por ato do Poder Judiciário ou do Poder Executivo?
b. Qual o regime jurídico e o procedimento para admissão dos servidores contratados para a execução das atividades pretendidas nos modelos previstos nas alternativas I e II? Na hipótese de criação de Fundação, os servidores que venham a atuar, simultaneamente, nesta e no Tribunal, assumindo-se que exista compatibilidade de horários, poderão receber ambas as remunerações? Na hipótese de criação de um órgão do próprio Tribunal, em quais situações é possível atribuir gratificação ou adicional aos servidores que desempenhem as atividades mencionadas no enunciado e como as referidas parcelas são tratadas para fins de incorporação aos vencimentos e proventos?
c. Caso a alternativa seja a contratação de instituição privada para prestação de serviços técnicos especializados de capacitação e aperfeiçoamento, qual(is) a(s) modalidade(s) licitatória(s) prevista(s) para a seleção da referida instituição? Admite-se que tal instituição subcontrate parcela do objeto do contrato?

 

Instruções Gerais:

Conforme Edital publicado, Capítulo IX, item 7, será atribuída nota ZERO à Prova Estudo de Caso nos seguintes casos:
a. fugir ao tema proposto;
b. apresentar textos sob forma não articulada verbalmente (apenas com desenhos, números e palavras soltas ou em versos) ou qualquer fragmento de texto escrito fora do local apropriado;
c. for assinada fora do local apropriado;
d. apresentar qualquer sinal que, de alguma forma, possibilite a identificação do candidato;
e. estiver em branco;
f. apresentar letra ilegível e/ou incompreensível.

 

A folha para rascunho no Caderno de Provas é de preenchimento facultativo. Em hipótese alguma o rascunho elaborado pelo candidato será considerado na correção da Prova Estudo de Caso pela Banca Examinadora.
O candidato não habilitado na Prova Estudo de Caso será excluído do Concurso.

Confira o artigo como fazer uma boa redação clicando aqui

Sobre Raul Junior

Fundador do site Provas de Concurso com o objetivo de ajudar concurseiros e estudantes, com dicas e informações sobre concursos públicos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *